A história do Exorcismo

Um exorcismo não é uma atividade qualquer e existem várias regras antes do Padre realizar o ritual para expulsar o ser maligno que se apossou de um corpo.
As regras e as instruções para um exorcismo sancionados pela Igreja Católica, foram publicadas no livro Rituale Romanum (Ritual Romano), escrito no século XVII. Desde sua publicação, o manual do exorcismo não sofreu nenhuma alteração até 1952, no século XX, quando duas pequenas alterações foram feitas no texto.

O que é um Exorcismo
É um ritual que consiste em palavras e gestos, executado por uma pessoa para expulsar espíritos malignos e demônios de uma outra pessoa que esteja possuída.

A verdadeira história do Exorcismo
Depois de diagnosticado o paciente com o Diabo em sua alma, o padre que irá realizar o Exorcismo, deverá ter uma autorização do Bispo (superior direto dos padres), que inclusive é uma das primeiras etapas do Ritual Romano, criado no século XVII.

As vestimentas do padre na hora do ritual a ser utilizada pelo padre é a batina roxa, a mesma utilizada em épocas de Quaresma, pois a cor roxa representa a penitência e a conversão.
O profissional começa o exorcismo com o sinal da cruz, benção com água benta sobre o paciente e a reza das orações Ladainha de Todos os Santos e o Salmo 53.

Veja Também:  A história da Quaresma

Depois da introdução, a batalha entre o mal e o bem começa. O Exorcista, em nome de Jesus Cristo, ordena o invasor se identificar e para libertar a vítima, gesticulando com objetos sagrados, como a cruz. Nem sempre o resultado é positivo de imediato, em alguns casos a batalha se intensifica e o demônio pode gritar, xingar e até atacar o Exorcista. Nesse sentido, o ritual pode ser repetido durante vários dias antes do ser maligno deixar o corpo. Apesar do esforço, existem alguns casos, como a de Annaliese Michel, que os demônios não libertam o corpo antes da morte das vítimas.

verdadeira-historia-do-exorcismo-1

Muitos dos exorcismos realizados, como os de Annaliese Michel (Emily Rose) e Roland Doe (Regan MacNeil), foram duramente criticados pela sociedade e pelos especialistas em medicina,
questionando a suposta possessão e a falta de cuidados médicos. Annaliese por exemplo, perdeu sua vida e a causa de sua morte em sua certidão de óbito foi a desnutrição e a desidratação.

Por esse e outros motivos, atualmente a Igreja Católica descarta os casos diagnosticados com problemas mentais e outras doenças que possa afetar algum problema psíquico do paciente, como a Esquizofrenia. Além de tudo, a Igreja deve procurar ajuda médica e psiquiátrica, antes de realizar um ritual de Exorcismo.

Com o avanço na medicina, os casos de exorcismo foram reduzidos, pois atualmente, os especialistas diagnosticam os pacientes com os sintomas de um suposto possuído, com esquizofrenia, paranoia, histeria, traumas, etc.
Mesmo com a redução dos casos, a Igreja Católica ainda ordena que cada diocese designe seu Exorcista!

Além de vários filmes inspirados no ritual, como O Exorcista e o Exorcismo de Emily Rose, até mesmo alguns animes abordam o Exorcismo em diferentes situações.

Comments

comments