Quatro passos para aprender tudo o que quiser

Quatro passos para a sabedoria

Na escola, na faculdade e até mesmo no dia-a-dia, é comum depararmo-nos com assuntos que não conseguimos compreender. Mas Richard Feynman (1918-1988), distinguido com o Prémio Nobel de Física em 1965, garantia que havia uma técnica simples para ajudar a entender qualquer tema.

O próprio Feynman sempre foi reconhecido por essa característica entre os colegas: ele tinha muito talento para transformar explicações de coisas muito complexas em algo simples e fácil de entender. E o seu entusiasmo para explicar os conceitos mais difíceis costumava contagiar quem estava por perto.

O que Feynman defende na sua técnica é que existem dois tipos de sabedoria: a que é focada em saber apenas o nome de algo e a que é focada em de facto saber algo.

A receita para a real aprendizagem, segundo ele, é a última – e pode ser aplicada observando os quatro passos a seguir:

01-  Escolha um conceito

Qualquer um que preferir. Pode ser um de macroeconomia, economia doméstica ou qualquer coisa que vier a cabeça.

Seja química ou culinária, ou primeiro uma e depois a outra. E anote o conceito – o mais importante aí é desenvolver o raciocínio.

02-  Escreva-o como se estivesse a ensinar uma criança

Redija, então, tudo o sabe sobre esse conceito.

Mas atenção: precisa de fazê-lo da maneira mais simples possível. Escreva como se estivesse a explicar para uma criança – ainda que isso pareça absurdo e desnecessário, é um passo muito importante.

Assegure-se de que, do início ao fim, esteja a usar uma linguagem muito simples. Além disso, evite jargões e expressões prontas que partam do pressuposto de que você já sabe o conceito delas.

Explique cada detalhe de tudo e não caia na tentação de omitir algo que, na sua visão, está subentendido.

03-  Volte ao tema e pesquise sobre ele

No passo anterior, provavelmente encontrou lacunas no seu conhecimento. Coisas que esqueceu e que não conseguiu explicar.

E esse é o momento em que começa realmente a aprender. Volte à fonte de informações sobre esse tema e pesquise o que ainda falta entender.

E, quando achar que cada subtema está claro, tente escrever no papel a explicação para ele de uma maneira que até uma criança entenderia.

Quando se sentir satisfeito e estiver a compreender tudo o que antes estava confuso, volte à redacção original e continue a escrever as explicações.

04-  Reveja e simplifique ainda mais

Depois de passar por todas essas etapas, reveja o que escreveu e simplifique. Certifique-se novamente de que não usou nenhum jargão associado com o tema que está a intriga-lo.

Leia tudo em voz alta. Preste atenção para perceber se está tudo exposto da forma mais clara possível.

Se a explicação não for simples ou se parecer confusa, interprete isso como um sinal de que não está a entender algo.

Crie analogias para explicar o conceito, porque isso ajuda a esclarecer tudo na sua cabeça e é a prova de que está realmente a dominar aquele tema.

Comments

comments