9 fatos sinistros sobre a morte

9 fatos sinistros

Embora esses 9 fatos mostram que a morte (juntamente com os impostos) seja inevitável durante a nossa existência mortal, nós ainda não podemos nos imaginar morrendo ou o que acontece depois que morremos.

A cada minuto há, em média, 107 mortes, com base no Census Bureau, com um total de 56 milhões de mortes por ano. As doenças cardiovasculares permanecem como a principal causa de morte em todo o mundo, assim como durante a última década. Como sabemos, a única certeza na vida é que um dia ela vai acabar, por isso, nesse artigo, vamos contemplar a perspectiva da morte com esses fatos mórbidos:

1. 35 milhões de suas células morrem a cada minuto

Células, como as da pele, estão constantemente se dividindo a partir de incidentes como esfolar o joelho, ou para substituir células velhas, mortas ou danificadas. Perdemos cerca de 30.000 a 40.000 células da pele a cada minuto, ou cerca de 50 milhões de células todos os dias, de acordo com a Universidade Estadual do Arizona. Outras células, como as células nervosas do cérebro, se dividem com menos frequência, mas não deixam de realizar o processo.

2. Você nasce com mais de 270 ossos e morre com 206

Dependendo do desenvolvimento do bebê, ele vai nascer com cerca de 270 ossos, em comparação com os 206 dos adultos. Quando crescemos, vários ossos começam a se fundir para se tornar um grande osso, e dar ao corpo a sua forma e suporte. Por exemplo, no momento do nascimento, cinco ossos distintos compõem o crânio do bebê e mais tarde se fundem em um crânio completo. Os cinco ossos separados durante o parto são os que dão a elasticidade e maleabilidade necessária para que o bebê passe pelo canal durante o parto.

3. Você não pode morrer de “velhice”

As pessoas geralmente não tendem a morrer de velhice, mas de inatividade ou de doenças relacionadas com a idade. Em 1951, as agências estaduais e federais dos EUA foram obrigadas a adotar uma lista padrão de 130 causas de morte, o que levou à supressão de uma causa de morte atribuída à “velhice.” Não é uma causa reconhecida cientificamente de morte porque acredita-se que existe sempre uma causa mais direta, embora possa não ser conhecida em alguns casos. Isso significa se descobrirmos totalmente essas causas e como combatê-las, estaremos muito perto de estender a vida consideravelmente.

4. A caligrafia desleixada dos médicos mata mais de 7.000 pessoas por ano.

Erros resultantes de abreviaturas e indicações pouco claras de dosagem por causa de uma caligrafia ilegível são um caso sério. Um relatório de 2006 da Academia Nacional de Ciências do Instituto de Medicina (IOM) dos EUA descobriu que a vida dos pacientes estão em risco se o seu médico tem uma escrita desleixada. A má caligrafia já matou mais de 7.000 pessoas por ano no país. Prescrições eletrônicas, cada vez mais comuns, eliminam muitos desses erros que podem ser fatais.

5. A maioria das pessoas morre nos hospitais

Hospitais são um lugar onde o nascimento e a morte ocorrem simultaneamente. Agora, mais pessoas morrem nos hospitais do que em casa, porque muitos optam por tratamentos agressivos para tratar câncer ou outras doenças. Estes pacientes ficam muitas vezes em uma unidade de terapia intensiva em um tubo de ventilação ou alimentação. O Centro de Controle e Prevenção de Doenças diz que 70% dos americanos morre em um hospital, lar de idosos, ou instalações de longo prazo para cuidados médicos.

6. Canhotos morrem mais facilmente que os destros 

Os canhotos são mais propensos a viver vidas mais curtas do que os seus homólogos destros, porque eles vivem em um mundo dominado por produtos destinados ao manuseio com a mão direita. Isso contribui para mais de 2.500 pessoas canhotas sendo mortas a cada ano pelo uso desses produtos. Um artigo publicado no The New England Journal of Medicine descobriu que destros, em média, vivem até os 75 anos de idade, enquanto os canhotos possuem uma expectativa de vida de apenas 66 anos.

7. Seu jantar começa a comê-lo 3 dias após a morte

As enzimas que você consumiu durante seu último jantar começam a comê-lo no prazo de três dias após a morte. As enzimas são enviados por todo o corpo e atacam o seu organismo indefeso. Isso ocorre porque as células rompidas se tornam alimento para as bactérias que vivem no intestino, que liberam gases nocivos que incham o corpo.

8. Você pode obter ereções

Pode haver vida após a morte – pelo menos para o pênis de um homem. Isto acontece porque depois que você morre, as membranas das células se tornam permeáveis ao cálcio. Certos tipos de células musculares são ativadas por íons de cálcio, ou seja, os músculos podem contrair-se, em particular, o pênis. Naturalmente, isto pode levar a uma ereção e até ejaculação mesmo após a morte.

9. As unhas e os cabelos NÃO continuam crescendo após a morte 

Você provavelmente já ouviu o mito de que unhas e cabelos continuam crescendo após a morte. Isso é uma grande mentira. O que ocorre na verdade é que os corpos vão se desidratando à medida que a decomposição avança, o que os encolhem. A retração da pele e de outros tecidos dá a impressão de que as unhas e os cabelos ficam maiores, mas é apenas uma ilusão.

Comments

comments