Cientistas transformam óleo de cozinha em substância 200 vezes mais forte que o aço

óleo de cozinha

Pesquisadores descobriram uma forma muito mais barata de obter grafeno: usando óleo de cozinha. O grafeno é uma única camada de átomos de carbono com propriedades incríveis. Ele é 200x mais forte que o aço e diamante, mas ao mesmo tempo é incrivelmente flexível. Nessas condições, ele pode se tornar um supercondutor que carrega eletricidade com resistência praticamente zero.

Isso significa que o material tem enorme potencial para integrar os eletrônicos do futuro, painéis solares e até ser usado na medicina. Em 2016, um estudo sugeriu que o grafeno poderia fazer a bateria dos celulares durar até 25%.

Mas estas aplicações estão limitadas pelo fato que o grafeno normalmente tem que ser produzido no vácuo com altas temperaturas, usando ingredientes puros. Isso torna a sua produção extremamente cara. Enquanto não encontrarmos uma forma mais barata de produzir o grafeno, todas as aplicações não vão passar de sonhos distantes.

Para tentar cumprir esta missão, cientistas da Austrália conseguiram criar grafeno em condições normais, usando óleo de soja comum, o mesmo que usamos na cozinha.

“Este processo feito em ar ambiente é rápido, simples e seguro”, afirmou um dos pesquisadores, Zhao Jun Han, que trabalha na Organização de Pesquisa da Comunidade Científica e Industrial (CSIRO). “Nossa tecnologia única deve reduzir o custo da produção de grafeno e melhorar suas aplicações”.

30 minutos

O grupo envolvido no trabalho chamou a nova tecnologia de GraphAir. Para acontecer, a reação envolve aquecer óleo de soja em um forno de tubo por 30 minutos, fazendo com que ele se decomponha em blocos de carbono que podem ser usados na construção do grafeno.

Este carbono é resfriado rapidamente em uma folha de níquel, onde ele se forma em finíssimos retângulos de grafeno, com espessura de apenas 1 nanômetro (80 mil vezes mais fino que um fio de cabelo humano).

Além desta técnica ser mais barata e simples que outros métodos, ela também é muito mais rápida: criar grafeno no váculo leva horas.

Outra ótima notícia é que isso provavelmente vai incentivar a reciclagem de óleo de cozinha já utilizado. “Agora podemos reciclar óleos que em outras ocasiões seriam descartados e podemos transformá-los em algo útil”, afirmou outro pesquisador envolvido na descoberta, Dong Han Seo.

A questão agora é saber se esta técnica pode ser usada em larga escala, já que o filme de grafeno produzido por enquanto tem apenas 5cm por 2cm. Os cientistas já avisaram que o maior filme que podem produzir por enquanto tem o tamanho de um cartão de crédito.

Os pesquisadores estão procurando investidores para tentar aumentar a escala de produção. Enquanto isso, outra equipe nos Estados Unidos, na Universidade de Kansas, patenteou uma técnica simples que cria grafeno usando apenas hidrocarboneto gasoso, oxigênio e uma vela de ignição, sem necessidade de vácuo.

óleo de cozinha

 

FontesScience Alerthypescience

Comments

comments