Sonda cai em Vênus e faz grandes descobertas

Em dezembro de 2014, a sonda Venus Express, da Agência Espacial Europeia (ESA) foi propositadamente enviada para a sua morte na atmosfera de Vênus no final de sua missão. Agora, os cientistas têm revelado algumas informações desse mergulho fatal – e os resultados são verdadeiramente fascinantes.

O mergulho na atmosfera venusiana começou em junho de 2014. A sonda, que foi lançada em Novembro de 2005, estava chegando ao fim de sua missão. Com  combustível limitado disponível, os cientistas decidiram aproveitar ao máximo uma oportunidade única para sondar regiões inexploradas de Vênus, ou seja, a sua atmosfera superior e seus pólos. Os resultados deste finale foram agora publicados na revista Nature Physics.

“Nenhum dos instrumentos da Venus Express foram realmente concebidos para fazer as observações atmosféricas nessa situação”, disse o principal autor Müller-Wodarg, do Imperial College London, Reino Unido, em um comunicado.

Sonda Venus_Express_aerobraking-1024x576

O que estes resultados revelam é que partes de Vênus são muito, muito mais frias do que o esperado. A temperatura média em Vênus torna o mundo o mais quente do Sistema Solar, com sua espessa atmosfera retendo o calor e dando origem a temperaturas de até 460 °C na superfície.

Mas as medições feitas pela sonda Venus Express a uma altitude de 130 a 140 km acima da superfície revelaram que a atmosfera perto dos pólos tem temperaturas muito menores que na Terra. Na verdade, a atmosfera polar em Vênus cai para -157 °C, ou seja, 70 graus mais fria do que o esperado. Também é de 22 a 40% menos densa do que se pensava.

“Essas densidades mais baixas poderiam ser, pelo menos, em parte devido aos vórtices polares de Vênus, que são sistemas de ventos fortes localizados perto dos pólos do planeta”, disse Müller-Wodarg.

Outro achado interessante foi que a região polar é dominada por algo conhecido como ondas de gravidade atmosféricas. Não se deixe enganar pelo nome; estas não tem nada a ver com as ondas gravitacionais mais amplamente conhecidas. Em vez disso, ondas de gravidade atmosféricas são ondulações na atmosfera que viajam na vertical para altitudes elevadas conforme a densidade diminui. Na verdade, temos algumas delas na Terra.

A Venus Express descobriu que havia ondas atmosféricas provenientes da camada de nuvens superior em Vênus, a cerca de 90 quilômetros acima da superfície. Além disso, as ondas de maior escala causadas pela rotação do planeta, conhecidas como ondas planetárias, também foram encontradas.

Para fazer essas descobertas, a Venus Express teve que executar manobras de aerofrenagem, usando a atmosfera venusiana para retardar a velocidade da nave espacial.

A Venus Express pode ter passado por uma morte ardente mais de um ano atrás, mas os resultados da missão ainda estão revelando algumas surpresas.

 

FonteIFLScience

Comments

comments