Estrela adolescente é observada por cientistas durante estirão

estrela adolescente

Astrônomos de uma equipe internacional descobriram uma estrela “adolescente” passando por um raro surto de crescimento, o que nos fornece uma oportunidade fascinante de observar o desenvolvimento desses objetos distantes.

A descoberta  estrela adolescente

Primeiro, os pesquisadores observaram uma explosão estelar incomum em uma estrela recém-descoberta, chamada Gaia 17bpi.

Gaia 17bpi pertence a um grupo de estrelas conhecido como FU Ori, em homenagem ao membro original do grupo, a FU Orionis, encontrada na constelação de Orion.

Essas estrelas, com menos de alguns milhões de anos, normalmente ficam escondidas atrás de grossas nuvens de poeira e, portanto, são difíceis de observar.

Porém, a equipe de pesquisa a identificou em uma fase dramática de evolução, em que a matéria que gira em torno dela cai em seu centro, aumentando sua massa. Assim, foram capazes de ver essa explosão através da luz infravermelha e visível.

estrela adolescente

Observação rara

Gaia 17bpi é o 25º membro da classe FU Ori descoberto até o momento, e um dos cerca de uma dúzia capturados no ato de uma explosão.

O evento envolvendo Gaia 17bpi foi detectado por diversos telescópios em anos diferentes, incluindo o satélite Gaia da Agência Espacial Europeia e o satélite NEOWISE e o Telescópio Espacial Spitzer da NASA.

De acordo com Tim Naylor, um dos autores do estudo da Universidade de Exeter (Reino Unido), “foi preciso muita paciência e uma cuidadosa seleção de dados para descobrir essa estrela.

[Ela] nos dá uma visão sobre os eventos que podem ter acontecido quando os planetas do nosso sistema solar estavam começando a se formar a partir de um disco de material ao redor do sol”.

Galáxias estão sendo exterminadas por algo misterioso

“Esses eventos da FU Ori são extremamente importantes em nossa compreensão atual do processo de formação de estrelas, mas permaneceram quase míticos porque são muito difíceis de serem observados”, complementou Lynne Hillenbrand, professora de astronomia no Instituto de Tecnologia da Califórnia (EUA) e principal autora do estudo.

“Esta é, na verdade, a primeira vez que vimos um desses eventos conforme acontece em luz ótica e infravermelha, e esses dados nos permitiram mapear o movimento do material através do disco até a estrela”.

Desvendando os dados

As novas descobertas esclarecem alguns dos antigos mistérios que envolvem a evolução de estrelas jovens, incluindo como uma estrela adquire toda a sua
massa.

Os teóricos acreditam que os eventos FU Ori – em que a massa é despejada do disco na estrela durante um período total de cerca de 100 anos – podem ajudar a resolver o enigma.

Os resultados recentes mostram, por exemplo, como o material se move do disco da estrela até a própria estrela em uma região localizada ao redor de uma unidade astronômica – a distância entre a Terra e o sol.

Os pesquisadores devem obter mais informações conforme se aprofundam nos dados.

Os 5 planetas mais assustadores segundo a NASA

Estrela adolescente

Fonte: The Astrophysical JournalPhyshypescience

Comments

comments